Capela de Santo António da Coutada

Capela de Santo António / Capela da Coutada

No lugar da Coutada, conta a lenda, que a Capela foi edificada por um náufrago que jurou, caso se salvasse, construir uma capela em honra a Santo António.
Inscrita sobre a porta da Capela encontra-se a data de construção, 1671, tendo sido mais tarde, restaurada em 1925 e 1975 e ampliada em 2002.
A Capela da Coutada é sede dos festejos em honra de Santo António que ocorrem todos os anos no terceiro domingo de Julho.
O edificado de planta longitudinal simples é composto por nave, capela-mor, mais baixa e estreita, e torre sineira adossada à direita. A nave e capela-mor são diferenciadas por coberturas em telhados de duas águas e em coruchéu piramidal sobre a torre sineira. Tem fachadas rebocadas e pintadas de branco com embasamento marcado a cor cinza e os cunhais, frisos e pináculos a amarelo, rematando no topo em beiral. A fachada principal tem portal de pedra de moldura recta com data inscrita de 1671, encimado por janela de moldura em arco de volta perfeita e pequena janela retangular com grades à direita. O remate da fachada é em empena recortada, no topo da qual se lê a data de 1925, marcada por cornija saliente e cruz no vértice. A torre sineira de dois registos divididos por friso e cornija, o inferior cego e o superior rasgado, em cada uma das faces, por sineira de volta perfeita, com remate cornija saliente e nos ângulos pináculos e cobertura em pirâmide hexagnal com marcação das faces do coruchéu a amarelo e remate de cata-vento em ferro.

Historial:
Cremos que todo o território do lugar da Coutada terá sido primitivamente, tal como o topónimo indica, a coutada régia existente junto de Aveiro.
Santo António da Coutada
madeira policromada, século XVIII
Como nos informa em 1763 o Pe. João Baptista de Castro no sua publicação do Mapa de Portugal antigo e moderno (p.438-439): As coutadas antigas do Reino em tempo del Rei D. Afonso V. ocupavam grande quantidade de terra. (ver + :
Rei Afonso V, (1432-1481)
Livro Vermelho: Trellado do liuro vermelho de tempo Dell Rey Dom afo[n]so o quinto]. - [14--]. - 84 f., [1] f. est. : il. ; 300x222 mm
Trelado do coutamento de Mira e das Gândaras ao redor de Aveiro[...]
65v). os

Devido a este facto, pediam os povos a EI Rei D. João II, nas Cortes de Montemor o Novo, que descoutasse parte delas para os campos se poderem aproveitar, e se escusarem os danos, que as caças silvestres faziam nas sementeiras. EI Rei como príncipe tão amante de seus vassalos o consentiu, e descoutou muitas terras. O mesmo fez EI Rei D. Manuel nas Cortes de Lisboa de 1498, e Filipe II no ano 1594 descoutou as montarias de Palmela, a de Montemor o Novo, a de Montemor o Velho, e a de Aveiro, ordenando que não houvesse mais coutadas que as de Lisboa, Sintra, Colares, Almeirim, e Salvaterra.

Diz-nos o Pe. João Vieira Resende (ver + in revista ADA, 1953, p.123), segundo a tradição, a fundação da Capela de Santo António da Coutada teve origem, em epoca incerta, num acontecimento miraculoso: No alto mar um navio lutava com as ondas e com a tempestade, correndo a cada momento o perigo eminente de vir a sossobrar. Nesta trágica contingência de naufrágio quase certo e angústias de marinhagem, um dos marinheiros recorre em prece aflitiva à intercessão de Santo António, com o voto de lhe ser construído e dedicado um pequen templo na terra que estava à vista, se amainada a tespestade volvesse são salvo à companhia dos seus. A rogativa foi ouvida e o templo surgiu no local em que se encontra.
Foto do interior, c. 1960, vendo-se a imagem
da Virgem do Rosário no oratório da Capela-mor e
marcação dos retábulos laterais
O interior da Capela enconta-se bastante alterado tendo-se perdido, nas actuais remodelações, os móveis integrados: os retábulo-mor, os retábulos colaterais e o púlpito. No seu interior existem as imagens do padroeiro, Santo António, da Virgem do Rosário, de São Sebastião, de São José e São Pedro (em porcelana da Vista Alegre).
Vista interior 2006




















Cronologia:

1671-00-00 Data inscrita de construção da primitiva Capela no portal.  

1954-07-11 Por ocasião da festa, foi adquirido um novo missal, um jogo de sacras, uma banqueta de metal e um paramento roxo.

1956-07-00 Foi comprada uma nova imagem de São Sebastião em madeira de cedro brasileiro na Casa de Fânzeres de Braga, cm 90 cm de altura, pela quantia de 2.160$00.



Hugo Cálão